Matador

adoro Matador e hoje copio descaradamente o post deles:

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 
 
One evening an old Cherokee told his grandson
about a battle that goes on inside all people.

He said, “My son, the battle is between two
wolves that dwell inside each and everyone of us.

“One is Evil.
It is anger, envy, jealousy, sorrow, regret, greed,
arrogance, self-pity, guilt, resentment, inferiority,
lies, false pride, superiority and ego.

The other is Good.
It is joy, peace, love, hope, serenity, humility,
kindness, benevolence, empathy, generosity,
truth, compassion and faith.”

The grandson thought about it for
a minute, and then asked his grandfather:

“Which wolf will win?”

The old Cherokee simply replied:
“The one you feed.”

celebrando

“O vinho é prova constante de que Deus nos ama e nos deseja ver felizes” Benjamin Franklin
 

Foi com os amigos que aprendi a beber vinho mas a primeira vez que provei ainda era infância, na casa da avó, coisa de um Natal. Depois de ver todos tomarem pedimos um gole, e os adultos cederam “só um golinho para provar”. O tempo passou e dessa experiência ficou a compreensão de que o vinho está ligado a reunião, celebração, amizade, bons encontros.
 

Quando a Concha Y Toro fez o convite para que eu fizesse parte da Embaixada Trio, lançando da linha Trio. São vinhos feito a partir do corte de 3 uvas diferentes. Achei uma boa oportunidade de aprender e celebrar.

 

A idéia de que, depois de um jantar de apresentação, seria a vez do jantar na minha casa para 3 amigos me colocou em xeque para escolher quem.  A proposta era que o chef preparasse algo para minhas 3 convidadas: escolhi três grandes amigas, amantes da boa comida e boas bebedoras de vinho que acompanham a minha vida e celebram, e riem, e dividem. Tem coisa melhor?

 

No menu um risoto de abóbora com pinoli, um DIVINO carré de cordeiro com cuzcuz marroquino e cheesecake de sobremesa. E o melhor, não precisei encarar as panelas ou a louça depois.  Após o jantar, meus vizinhos queridos apareceram, e rapidamente entramos numa festa. Baco, onde quer que esteja, estava orgulhoso de nós, seus discípulos.

 

  

Je veux

 

Eu quero amor, alegria, bom humor
Não é o dinheiro que me trará felicidade,
Eu quero morrer com a mão no coração
Papalapapapala
Juntos, descobrir a minha liberdade,
Portanto, esqueçam todos os vossos padrões,
Bem-vindo à minha realidade!

Triunvirato

Recebi um convite irrecusável:

ser uma das embaixadoras da Concha Y Toro para Trio, uma linha de vinhos que é um blend ou assemblage de três uvas diferentes, uma predominando sobre as outras duas com um resultado equilibrado e saboroso.

A proposta incluiu um encontro para conhecer o vinho e a marca durante um delicioso jantar devidamente harmonizado. Além de conhecer os outros cinco embaixadores deu para provar pratos ótimos, bater papo e aprender mais sobre vinho.

O próximo passo é um jantar aqui em casa para os meus amigos no mesmo esquema: o chef vem, cozinha no seu fogão (tô com um pouco de pena dele, confesso), temos o vinho, temos a festa :]

Olha só como foi o primeiro encontro:

 

 

Alice

“Como as criaturas dão ordens à gente e nos fazem decorar lições!” pensou Alice “é como se eu estivesse na escola neste momento”. Contundo levantu-se e começou a recitar, mas tinha a cabeça tão cheia da Quadrilha da Lagosta que mal sabia o que estava dizendo, e as palavras saíram realmente muito esquisitas:

Esta é a voz da Lagosta; eu a ouvi declarar:
“Você me torrou no forno e me deixou sapecar.”
Graciosa, elegante, com a fuça e de través, Dá laços, se abotoa e separa as pontas dos pés   “”

(Aventuras de Alice no País das Maravilhas