Todas as Manhãs do Mundo, o doc

Law

Confesso, tenho uma ligação emocional com Todas as Manhãs do Mundo.

O documentário, dirigido por Lawrence Wahba, que estréia hoje nos cinemas, teve 44 semanas de viagens para captação das quais estive próxima porque Law foi quem me ensinou sobre documentários de natureza. Sobre documentários, sobre como captar imagens de natureza e do mar.

Trabalhamos juntos, ele foi meu mentor em produzir filmes, mergulhar, curtir tubarões, tamburitacas e tubastreas, e a desejar conhecer um dia a Papua Nova Guiné.

Fiquei emocionada quando assisti ao filme ainda na época dos ajustes de som. Uma das cenas me fez chorar e ele ria e vibrava.

“Todas as Manhãs do Mundo” é um filme para quem gosta de observar e entender os movimentos extra-humanos da Terra. Narrado na perspectiva do Sol e da Água (com as vozes de Ailton Graça e Letícia Sabatella), é um filme para a família, para apresentar para os pequenos as maravilhas desse mundo vidaloka. Bom para lembrar também aos grandes que há muito pelo qual lutar. Produzido pelos mesmos caras de “A Marcha dos Pinguins”, é um material de qualidade impar, de imagens raras, que merece ser visto em tela grande.