Escrevendo nas paredes

Desde o tempo das cavernas que o bicho homem adora rabiscar uma parede.

Será essa a razão de hoje ser impossível andar sem tropeçar em uma assinatura, frase ou idéia fincada nos muros das cidades?

Pinturas e painéis espalhados pelas ruas trazem um pouco mais de poesia a esquinas, casas e avenidas.

 

O grupo espanhol Boa Mistura promoveu uma intervenção em diversas casas da Vila Brasilândia, em SP, levando palavras e cores para inspirar a rotina dos moradores.

 

Robert Montgomerry criou a Guerrila Poetry, onde suas palavras ganham dimensões maiores, aplicadas a outdoors e letreiros luminosos

 

Esse é o trailer oficial de “A love letter for you”, projeto de Stephen “ESPO” Powers que espalhou em 50 murais pintados na Philadelphia entre 2009 e 2010 trechos de cartas de amor.

 

Em breve,  as mães com filhos pequenos não mais vão tremer diante de inevitáveis rabiscos em casa.

 

Bisteca do Caipirinha (ou uma vez em Tatuí…)

Na casa de minha avó paterna, dia de bisteca no almoço era dia de guerra na mesa. Voltávamos às cavernas para ver quem ficava com o osso, nada era mais prazeroso que o chup-chup-roc-roc desfiando os pedaços suculentos de carne que ficavam ali grudados.

Bisteca (ou chuleta) é um corte da carne que deixou de figurar em muitos cardápios porque corresponde a um corte transversal do lombo, abrigando de um lado o filé mignon e de outro o contra filé. Segundo meu pai: “Os açougues preferem vender estas partes nobres de modo isolado , e não como uma peça envolvendo um osso. Para aproveita-la com melhor sabor, as bistecas devem ter a espessura mínima de 2cm , e serem preparadas em panela de ferro extremamente quentes e com pouco óleo.”  Bisteca é assunto sério em casa.

Durante as gravações do Pré-Estréia visitei Tatuí, no interior de SP, várias vezes. A cidade esconde um segredo: a “Bisteca do Caipirinha”.

O lugar é super simples e familiar. A salada (tomate e cebola) é servida na mesa. Arroz, feijão e farofa você pega direto da panela. Além da bisteca, de carne ou porco, você pode incrementar o prato com um ovo. Parecia que eu voltara dez anos e estava a mesa na casa da minha avó, a diferença é que meu avô colocava além de tudo isso uma banana no prato. Há outras opções de carne para acompanhar mas se eu fosse você nem cogitaria algo que não a bistequinha. E pudim de leite de sobremesa.

A casa é bem tradicional (e Tatuí é pequena) então é fácil de encontrar:  Rua do Cruzeiro, 954, Tatuí. Telefone: (15) 3259-1577 Horário de funcionamento: de Segunda a Sábado, das 11h às 15h30

Aproveita e dá uma olhada na parede, no hall da fama local, além das inúmeras participações do dono em programas de TV, tem uma foto do Simonal incrível